Missão Chang’e 5 da China chega à Lua

A China está diante de um grande passo em sua história buscando trazer para casa as rochas lunares, com sua nave espacial da missão Chang’e 5 se separando em dois pares de veículos em preparação para um pouso lunar.

A espaçonave Chang’e 5, que foi lançada em 23 de novembro com o intuito de ser a primeira missão que irá trazer amostras lunares para a Terra desde 1976. A missão alcançou a órbita lunar em 28 de novembro. De acordo com a agência de notícias estatal chinesa Xinhua, o veículo orbitador e o ascensor se separaram em órbita lunar em 29 de novembro. Deste modo, se prepara para um pousopróximo ao pico de Mons Rümker, uma montanha na região da lua Oceanus Procellarum, o Oceano de Tempestades.

Segundo a Administração Espacial Nacional da China (CNSA), a espaçonave está funcionando bem e a comunicação com o controle de solo é normal.

O módulo lunar e veículo de ascensão Chang’e 5 da China separa-se de seu veículo orbitador / retorno no início de 30 de novembro de 2020, horário de Pequim, antes de pousar no Oceano de Tempestades da lua para uma missão lunar de retorno de amostra. Crédito da imagem: CCTV

O orbitador lunar e a espaçonave de retorno irão permanecer em giro em torno da lua, enquanto isso, o módulo de pouso e o veículo de ascensão irão se direcionar à superfície lunar. O módulo de pouso Chang’e 5 movido a energia solar possui apenas duas semanas, equivalente a um dia lunar, para realizar a coleta das amostras. A missão Chang’e 5 deve durar cerca de 23 dias em sua totalidade, dizem as autoridades da CNSA.

O pouso na planície do Oceanus Procellarum irá coletar cerca de 2 quilogramas de rocha lunar, de aproximadamente 2 metros de profundidade. Dentro de duas semanas, as amostras serão colocadas no veículo de subida para decolar da superfície lunar e se encontrar com a nave em órbita.

Missões que antecederam a Chang’e 5 da China

A China já possui espaçonaves ativas na superfície lunar. São estas, a sonda Chang’e 3, em 2013 e a sonda Chang’e 4 com o rover Yutu 2. Ambas pousaram do outro lado da lua em janeiro de 2019. Todos essas missões fazem parte do programa de exploração lunar Chang’e da China.

A missão Chang’e 5 é a primeira tentativa do país de uma missão de retorno de amostra. Obtendo sucesso, retornará suas amostras de rochas lunares para a China ainda em meados de dezembro de 2020.

Chang’e 3
Crédito: NAOC
Rover Yutu
Crédito: CNTV

  • Post author:
  • Post last modified:01/12/2020
  • Reading time:3 mins read