Telescópio Gregor mostra estrutura do campo magnético do Sol

O resultado do trabalho de cientistas alemães com o telescópio Gregor são incríveis imagens solares.

As capturas foram feitas do Observatório Teide, nas Ilhas Canárias. Lucia Kleint, cientista do Instituto Leibniz para Física Solar em Freiburg, na Alemanha, diz se tratar de um projeto muito empolgante, porém extremamente desafiador.

A ótica, a mecânica e a eletrônica foram redefinidas com o objetivo de alcançar a melhor qualidade de imagem possível. Com a atualização do equipamento para aperfeiçoar a imagem, foi possível registrar a textura da superfície, considerada semelhante à pipoca.

Tempestade Magnética Solar pelo Telescópio Gregor
Crédito: KIS

Início das observações com o Telescópio Gregor

As observações com o Gregor se iniciaram em 2012, com o título de maior telescópio solar da Europa.

O observatório foi pintado para refletir menos luz e interferir menos na qualidade das observações. Assim, foram implementadas também novas políticas de programação para melhorar a produção científica. Atualmente, podem ser capturadas as características do Sol com apenas 50 quilômetros de diâmetro.

A atividade solar está em ascensão com o término do ponto mínimo do atual ciclo solar, o que representa que o momento é propício para grandes estudos através do telescópio.

Estruturas Magnéticas Solares pelo Telescópio Gregor
Crédito: KIS

  • Post last modified:05/09/2020
  • Reading time:2 min(s) read