Ações da Tesla caem 21% registrando o pior dia em sua história

As ações da Tesla despencaram na terça-feira, 8 de setembro, após a fabricante de veículos elétricos de Elon Musk ser deixada de fora do S&P 500 pelo comitê com a decisão sobre novas adições ao índice.

As ações da Tesla fecharam em queda de 21,06%, tornando-se a pior perda já registrada em um único. A queda trouxe a avaliação de mercado da empresa para baixo em cerca de US$ 82 bilhões, para US$ 307,7 bilhões. As ações vinham em alta este ano, aumentando cerca de 300% elevando o valor da empresa ao de algumas das maiores montadoras do mundo, como Toyota e Volkswagen.

A decisão do S&P 500 Index Committee incluiu o site de comércio eletrônico Etsy, a fabricante de equipamentos de teste automático Teradyne e a empresa farmacêutica Catalent, mas não incluiu a Tesla. Investidores esperavam a inclusão da Tesla neste trimestre, depois que ela relatou seu quarto trimestre consecutivo de lucratividade.

CEO da Tesla, Elon Musk
Crédito: Daniel Acker/Bloomberg via Getty Images

As ações da Tesla caíram mais de 7% após o expediente de sexta-feira após a notícia. Os mercados dos EUA foram fechados na segunda-feira por causa do Dia do Trabalho.

Ainda assim, a Tesla anunciou a conclusão da venda de US$ 5 bilhões em novas ações.

Enquanto isso, uma start-up de veículos elétricos compete para enfrentar a Tesla. Trata-se da companhia Nikola, com a qual a General Motors concordou em adquirir uma participação de 11%. Como parte do acordo, a GM será responsável pela produção da pick up Badger, com data de conclusão programada para 2022. As ações da Nikola apresentaram um salto de cerca de 29% e a GM subiu 6%.

  • Post last modified:10/09/2020
  • Reading time:2 min(s) read